Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2020

Sobre Igualdade

Imagem
Não há nada que é simples que não possa ser complicado, nada que é complexo que não possa ser simplificado, e não há nada que exista que não possa ser filosofado. Juro. Na matéria do blog Não Matou Hoje*, sobre processo por igualdade salarial de jogadoras de futebol nos EUA, foi utilizado o recurso retórico de criar um novo termo, igualdade-feminista, para escrever o artigo. A razão é evidente. Não é possível usar o termo igualdade e pretender ser entendido quando falamos de igualdade e feminismo, pois o conceito de igualdade que feministas usam é totalmente diferente do que entendemos normalmente por igualdade. Me ocorreu então que o problema é mais complexo, já que, de fato, existem muitos tipos de igualdade. Igualdade, um valor derivado da justiça, foi teorizado como conceito, possivelmente pela primeira vez, durante o período Renascentista. Burgueses sentiam-se injustiçados com o fato de que um comerciante rico tinha menos status na sociedade que um duque empobrecido, então tiveram

Amor Criminoso

Imagem
  Há vários mistérios mundanos no mundo, e outros com nível de sabedoria cósmica. Um dos enigmas mundanos é mulheres acharem bonito namorar bandido, enquanto homens têm vergonha de ter uma companheira marginal. De imediato temos que reconhecer que dizer-se capaz de tolerar bandido como parceiro amoroso não é virtude, então não sei porque mulheres falam sobre esse assunto como sendo algo mais elevado do qual somente elas são capazes.  É o contrário, querida. Isso é uma imoralidade, um defeito de caráter observável mais em mulheres do que em homens, portanto orgulhar-se disso é como se achar divina porque está cagada enquanto fala mal dos outros que nem peidar peidam. O que temos aqui é a velha e conhecida divinização da mulher: toda merda que fazem é pura e santa, e tudo que homens fazem é imoral e escroto, independente da merda que estejam fazendo. Mas há razões mais mundanas e pragmáticas que podemos invocar para entender por que mulheres têm menos resistência a namorar bandidos. Qual

Você tem razão, mas perdoe a mulher que te amargurou

Imagem
Esses dias escrevi sobre o tarado do você está certo, por isso está errado. Acho que acabo de encontrar um novo espécime da fauna digital para catalogar: o tarado do você têm razão, mas deve perdoar a mulher que te amargurou. Se para escrever um textão sobre egocentrismo da mulher moderna e hipergamia o cara tem que estar amargurado, calcula aí o grau de amarguramento de um ginecologista. Zulivre! É tanto amargura só pra ser técnico em buceta que não gosto nem de pensar.  Uns tempos atrás, vi um ginecologista reclamando nas redes. Tentou explicar menstruação para uma empoleirada de 12 anos e ela o acusou de mansplaining. Aposto que na sequência foi atacado pelo tarado do você tem razão, mas deve perdoar essa mulher que te amargurou tanto. Depois ninguém sabe porque homens são 80% dos suicidas. É amargura profunda, só pode. Já não conseguem perdoar as moliéres, aí aparece o tarado pra falar merda e o sujeito decide que não há mais razão para continuar esperando o meteoro. Se você acha q

Hulk Smash the Piriquito

Imagem
  Hoje vou problematizar sobre o preconceito contra o batedor de punheta, já que isso é muito problemático. A geração dos punheteiros que me precedeu sofreu ataques severos. Contavam a eles que masturbação fazia crescer cabelos na mão, que podia causar demência e até mesmo cegueira. Nenhum punheteiro jamais se preocupou com isso, mas era só dizer que macho de verdade não bate punheta que a pirralhada se apavorava. Ninguém queria ser o punheteiro, então o cinco contra um rolava em recesso, escondido dos olhares de reprovação. Esse ataque aos direitos punhetivos do homem é um prática milenar que pode ser rastreada na gênese das religiões abraâmicas, que são o pano de fundo da cultura judaico-cristã no Ocidente. Vejamos: “a mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher” (1 Coríntios 7:4) Desde os tempos bíblicos, derrubar sua semente no solo é pecado. O criador do universo não gos

A Solidão da Mulher Milituda

Imagem
Há uma geração de mulheres sendo treinadas desde pequenas para odiar homens e achar-se a última bolachinha recheada do pacote simplesmente porque nasceram com um útero. Nasceram com um pé nas estrelas, com um talento único. O único talento que têm é ficar se achando. É tipo um efeito Dunning-Kruger empoleirado. É tão sem noção que não tem noção suficiente nem para entender o quanto é sem noção. Enfim, são criadas para serem tóxicas. Gente tóxica vê toxidade em todo lugar pois a lente que lhe foi fornecida para visualizar o mundo é radioativa. Supostamente o macho moderno deveria estar se esforçando para ser menos machista. Essa é uma tarefa bastante complicada, já que qualquer comportamento que não seja tratar uma mulher como um ser de virtude máxima apenas porque possui uma vagina, demonstrar desprezo por tudo que é masculino, ajoelhar-se no altar de Frida e louvar o feminino em devoção e penitência é considerado machismo e misoginia. Qualquer homem disposto a fazer isso ou é imbeci

Colorismo e Tribunal Racial

Imagem
Gêintchy, me deu um branco agora. Revisando a história então, para os que não sabem. Cotas raciais para universidades foram inventadas pelos americanos. Nos EUA, onde o critério de seleção não é objetivo e envolve entrevista, isso faz sentido. O Einstein afro-american chega na entrevista em Ravárdi e leva cano porque o pessoal não acha que a cor da pele dele combina com as cadeiras na sala de aula. Aí não dá. Para encerrar de vez com a frescura estética dos reitores, os gringos chamaram nas cotas. Pronto, encerrou o assunto. Brasileiro, como sabemos, é brasileiro, então importou via redes papagaiais da época o modismo gringo para aplicar em um teste objetivo que não enxerga cor, sexo, orientação sexual, idade, classe social nem qualquer outro critério discriminatório. É só marcar o xis no lugar certo na grade e tá dentro. Se está difícil para o pobre, então faz cotas sociais, que não é um critério racista e atende na maioria negros sem excluir o branco pobre, já que negros são maioria

Língua e Opressão

Imagem
Os prints são de uma mana em desespero tentando catar opressão até em peido. Já começa sujando tudo as fralda quando tenta comparar solteiro não com solteira, mas com mulher-solteira, um substantivo composto que já é composto justamente para significar coisa diferente do feminino de solteiro. Seguimos sujando as fraldas com as palavras patrão e patroa. Um é chefe, e outra é dona de casa. Mas quem é a tal de patroa? Exatamente isso que você pensou: a mulher que manda no patrão. Patroa é um termo muito antigo na cultura que revela uma medieval e desconfortável verdade que feministas não revelam. Da porta de casa pra dentro, quem caga ordem é a mulher. E fora de casa, caso o bofe seja casado, também. Por lei, homens não podem nem mesmo movimentar seus bens sem autorização da patroa, que é a autoridade que supervisiona os seus, digo, os bens do maridão opressor. Essa dominação patriarcal é mesmo muito opressora. É o que feministas definem como escravidão da mulher. Imagine se a tal patroa

O Crítico Social Foda

Imagem
Sou do tempo do crítico social foda. O cara ia lá, fazia uma crítica social foda sobre o quanto a sociedade fodida nos fodia, e aquilo era muito foda. Não mudava porra nenhuma, pois terminávamos todos fodidos e mal pagos igual, mas foda é assim mesmo. O objetivo é foder, não gerar receita. O crítico social foda sofreu um upgrade, e foi substituído hoje pelo crítico social tapado, que é basicamente um lacrador descerebrado com síndrome de Dunning-Kruger que é tapado demais para entender o quanto é tapado. Assim como o crítico social foda, seu objetivo não é mudar as coisas, e sim deixar que as pessoas continuem tão tapadas quanto eram antes, se possível ainda mais tapadas, já que só indivíduos mais tapados que o crítico social tapado são tapados o suficiente para continuar dando corda para críticos sociais tapados. Na imagem temos a clássica e tapada tentativa de fazer crítica social tapada com a objetificação sexual feminina no cinema com uma inversão de papéis, onde há uma mul

Pornô para Homens

Imagem
Piadas e comentários jocosos sobre o sexo oposto que homens fazem entre si são rotuladas como misóginas por feministas, mas totalmente autorizadas a mulheres quando entendem conveniente rir de homens seja por que motivo for, mesmo em público e na presença de homens. Não poderia ser diferente pois somente a mulheres é dado o direito de ter vontades e expressá-las na arena sexual, coisa que não é autorizada nem mesmo no recesso entre iguais para homens, como fica claro no artigo de Raphaela Ramos*, onde menciona a iniciativa de inserir homens espiões em grupos de WhatsApp para monitorar misóginos conteúdos pornográficos e outros comentários de cunho sexual que homens fazem entre eles. Óbvia é a observação de que se homens fizessem isso em um grupo de mulheres onde elas trocam conteúdo erótico e fazem comentários de conteúdo sexual, isso seria considerado misógino, a prova cabal do ímpeto patriarcal machista de controlar e tolher a expressão sexual feminina. Para o solipsismo moral femini

O Sojinha Revolucionário

Imagem
O mundo hoje está sojado. Possivelmente isso tem alguma relação com a queda do nível médio de testosterona em homens, que está visivelmente desabando ao longo das últimas décadas por razões ainda não compreendidas. O problema é que mulheres hoje estão sojadas também, então usar uma explicação hormonal para entender ao menos parte do fenômeno já é complicado, que dirá todo ele. O sojinha médio de hoje quer ser revolucionário, mas sonha com revoluções instantâneas fabricadas com cliques de apps de celular. Dou uma protestadinha online aqui, uma tretadinha acolá, e ano que vem temos um mundo novo, cultura nova, valores novos. Muito sojinha. Muito. Revoluções culturais são fenômenos multigeracionais, e muitas atravessam séculos. Sojinhas hoje estão com a bunda gorda sentada em um massivo arcabouço abstrato que começou a ser construído durante o período iluminista Europeu com base na revisão de rascunhos de ideias de milênios de idade, empreitada que mudou radicalmente o modo de pensar do c

Dad Bod

Imagem
De acordo com a última e bombástica pesquisa empoleirada comentada pelo The LacraGuardian, mulheres acham que homens com corpo estilo dad bod, em tradução livre, corpitcho papai, são melhores opções para relacionamentos monogâmicos. Isso nos deixa com um mistério a ser desvendado: por que mulheres deram a esse tipo de corpo o rótulo de dad bod? Hummm… possivelmente jamais iremos saber de onde as meninas tiraram essa ideia totalmente sem noção. Mulheres, conforme revela o estudo, associam a corpos dad bod características como ser menos narcisista e possuir maior propensão a exibir comportamentos paternais. Em outras palavras, a pesquisa descobriu que mulheres querem bad boys malhados para descabelar a perseguida, mas preferem betas provedores para casar. Imagino que essa informação totalmente não intuitiva deva ser um choque para os meninos. Ninguém jamais nem sequer desconfiou antes que meninas pudessem ser assim. Enfim, todo dia uma red pill nova. Na imagem vemos Jason Momoa em duas v

O Cafajeste

Imagem
Preferências médias da população feminina para parceiro são conhecidas. A maioria prefere o clássico modelo protetor provedor, que nada mais é do que a satisfação do seu instinto hipergâmico. Não é por acaso que mulheres consideram altura atraente em homens. Alguém mais baixo e fraco, por exemplo, não oferece proteção nenhuma. Isso seria como um tampinha querendo ser segurança da Ronda Rousey. Não há nada que ele possa agregar a ela em termos de proteção que ela já não possua sozinha. O tampinha é mais baixo, mais fraco, tem padrão financeiro inferior e com certeza é menos inteligente que ela, já que pra querer ser segurança da Rousey pode até ser destemido, mas é totalmente sem noção. Enfim, o tampinha é o famoso homem inútil. Não fode e ainda atrapalha. Nem pra sexo não serve. Se der bom dia é assédio, então some daqui, incel. Cafajestes têm o perfil inverso do protetor provedor que a maioria das mulheres prefere, portanto não é possível sustentar a ideia de que a mulher média se sin

A Espiã que eu Espiava

Imagem
Uma red pill tem que ser algo que contraria o senso comum, mas parece que a modinha agora entre os redpillados é achar que tudo é red pill. Algo que é óbvio, intuitivo e conhecido não pode ser uma red pill por definição. Se você descobriu algo desse tipo ontem, você não tomou nenhuma pirulinha vermelha, apenas deixou de ser um bocó comedor de mosca que ainda não sabe o que é largamente sabido como a mais verdinha das verduras sabidas. Observo vários por aí espalhando com ares de Nessahan Alita a verdura mística de que valores não molham calcinha de mulher. Táqueopariu, e você fica de pau duro com o quê, posso saber? Não vale mentir pro tio. Tio Luiz sabe o que você anda aprontando por aí no puteirinho e nos sites de sacanági. Ninguém entra em site pornô pra ver as honestas e puras aprontando honestices puritaninhas enquanto fazem beicinho gutchy gutchy bebê lindo da mamãe. O que querem encontrar em puteiros nem vou falar porque meu textão é família, e não um textículo X-Rated. Se você

Loira Gelada e Gostosa

Imagem
Vida de Gen X em final de carreira é complicada. Tenho hoje que aturar os new left SJW querendo ser progressistas enquanto exibem puritanismos histéricos de véia cagadora de regra do século 19, que surta com palavrinhas proibidas e desmaia quando vê mulher pelada. Mulher pelada não pode. Mas por que não pode? Não pode porque quem caga regra é a véia cagadora de regra e pronto. Do outro lado temos os new right tradcon que se acham conservadores, mas não passam de progressistas de armário como medo de soltar a franga. Não adianta jogar pedra em feminista que condena bundas em comerciais de cerveja se quando a sua mulher quiser mostrar a bunda no comercial você vai dar piti porque mulher fazendo pose pra ganhar like de macho é p00t@. Aí foge pra igreja porque lá as mulheres não usam shortinho e falam que só Jesus salva, para em seguida ficar histeriquinho porque as evangeliquetes posam de santas, mas são mais arteiras que o Capeta. Ué? Mas não era a vestimenta e a tribo o rolômetro que fu

A Casada e o Shortinho

Imagem
Mulher casada pode sair assim? Claro que pode, mas há condições. Não é possível argumentar ao mesmo tempo que você sai com um short socado na bunda e não quer ser olhada ao mesmo tempo que reclama do seu bofe que não quer que você saia com o short porque ele acha ruim que você vai ser olhada. Quer sair com o short sai, mas agora acabou o mimimi tem escroto me olhando. Sua busanfa, suas regras, olhos dos escrotos, escrotas regras. Se o boy não pode ficar de mimimi porque tem escroto olhando para o popô delícia da Mona, a Mona também não. A regra é simples e vale para ambos os sexos: não mostre o que você não quer que olhem. Se quiser mostrar está liberado, mas agora não pode reclamar que estão olhando o que você quis mostrar por livre e abundante vontade. É precisamente por causa dessa regra que não saio com o piu-piu de fora na rua. As mulheres vão ficar olhando, não vou gostar. Supondo que eu escolha mostrar mesmo assim, agora abdiquei livremente do direito de poder reclamar de qualqu

Melancias

Imagem
A demente tara por dispensar analogias com base em critérios de identidade parece ser uma falha cognitiva ainda não catalogada pela Ciência. Você chama um gordo de rolha de poço e o tarado da analogia vai dizer que a analogia é inválida porque gordos não são rolhas, nem servem para tapar poços. Como homens obesos e rolhas pra fechar poço não são perfeitamente idênticos, temos uma falsa equivalência. Falsa simetria é a expressão que alguns jegues preferem usar para dar um ar intelectualizado irrefutalóide ao seu discurso. Jeguial. Photo by  Dainis Graveris  on  Unsplash Quando comparamos seios com o pênis para raciocinar sobre o que pode ser mostrado ou não, o tarado da analogia imediatamente vai gritar falsa simetria, pois é óbvio que seios e pintos não são idênticos. Mas é claro que não são idênticos, seu jumento. Não, não estou tentando afirmar que você é de fato um jumento, seu jumento. Isso é apenas uma analogia que podemos fazer comparando por equivalência a capacidade cerebral de