Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2021

Pondé Platinho

Imagem
O último monstrinho com quem interagi me disse que não estava entendendo nada da minha página, e me perguntou se ele era burro. É um monstrinho de sorte, pois fez a pergunta certa, no lugar certo, para a pessoa certa: sim você é burro. Nesse momento, me senti um professor, pois essa é sua missão: fazer com que o indivíduo termine a aula mais burro do que entrou. O burrinho não sabia que era burro, então agora que sabe, vários dilemas complexos vão surgir na sua mente, que vai entrar em estado de dissonância cognitiva fazendo com que se sinta mais burro do que era antes. Se a lição funcionou como deveria, o burrinho vai tentar resolver sua dissonância cognitiva atacando a raiz do problema: sua burrice. Caso consiga, agora sim, ficou mais sábio, caso contrário, nada mais posso fazer por ele. Agora me apareceu um outro tipo de monstrinho, que elaborou uma teoria no clássico modelo hipotético-dedutivo para tentar inferir qual é a minha metodologia, tentou concluir com base em sua teoria qu

Órgãos Fiscalizadores

Imagem
  Zoar fiscal é comigo, mas há momentos em que surge a necessidade de falar sobre assuntos sérios, então precisamos falar sobre as fiscais de bruscheta, uma praga que está se multiplicando rapidamente na sociedade. Uma tal de Gio anda tuitando por aí que trata sexualidade dos outros com tanta naturalidade, que se o filho chamá-la para para contar que é gay, ela vai perguntar pelo Keko: o Keko eu tenho a ver com ílson, Juvenílson? Quando uma piriguete usa o codinome Gio, já sabemos que essa Gio é Vana. Está na cara que essa Vana é feminista, e das fiscais de bruscheta. Como é feminista, é grossa, e faz pouco caso de um momento sensível da vida do próprio filho só porque ele é homem. Tadinho do pirralho. Toma coragem para revelar à mãe que torce para o outro time, era uma coisa relevante e importante para ele, mas como a mãe era feminista, nem deu bola. Feminista dizendo que trata sexualidade dos outros com naturalidade já sabemos do que se trata: tá de mintzirinha. Se o pirralho fosse h

O Padre Básico

Imagem
  Perdão, ó Deusa, pois irei pecar contra o Santo Ofício. Que Frida me elimine nessa hora em que sou impelido a zoar gostoso com as católicas feministas, pois não tê-lo feito ainda é um ato pecaminoso imperdoável em minha longa e calvária peregrinação rumo ao perdão por ter nascido homem. Desculpe, mas não foi por querer. Se tivesse sido consultado no útero, iria querer ser abortado, mas agora é tarde. O terrivel mal já está feito, e como suicidar não só é pecado, como algo bastante perigoso, pois pode ser fatal, não há nada que esteja ao meu alcance fazer além de dar muita risada dessa palhaçada. Católicas¹ pelo Direito de se Vitimizar, para minha total falta de surpresa, não param de se vitimizar. Aleluia, irmãs, pois as manas estão convosco, e Frida se vitimiza por vós das altezas. As irmãs das manas querem Igreja sem padre, com aborto e LGBT+. Ainda tentam aplicar a velha lorota de que o patriarcado é dominação machista do forte sobre o fraco, e que o feminismo quer salvar almas do

Miss Simpatia

Imagem
Em um mundo onde concursos de beleza são questionados por usarem beleza como critério para eleger miss, Fernanda Montenegro, eleita imortal da Academia Brazuca de Letras (ABL), é só mais uma imortal efemeridade que será esquecida ano que vem. Alguém se lembra do Sarney? Não lembro nem quem eram os Fiscais do Sarney, que dirá quem sãos os tais Marimbondos de Fogo, um livro de poemas tão inesquecível que até o Roberto Marinho deve ter esquecido de ler. Logo ele, que também ocupou cadeira na ABL. Até que a ABL escolheu bem, já que quando você premia literatura que não existe, pouca coisa pode dar errado, portanto não há erro a eternizar. E depois, há um imortalizado déficit de meninas na ABL, então mais uma respeitável e distinta decana para florir a casa é uma boa estratégia no clima atual, onde o protocolo exige imortalizar mulheres apenas por serem mulheres. Verdade seja dita, beleza nunca foi critério para escolha de miss, já que as meninas levam pontuação em vários outros critérios a

Pai Lule Coelho

Imagem
  Contaram várias mentiras sobre o Pai Lule, como a foto em que ele aparece lendo um livro do Paulo Coelho de cabeça para baixo, uma sórdida photoshopada perpetrada para fazer o cidadão brasileiro acreditar que Lule é analfa. Isso é fake news, pois Pai Lule, como vários monstrinhos de todos os pólos da polarizosfera que me assombram no cyberspace, é semianalfa. Não poderia não ser, pois Pai Lule é legítimo representante do povo brasileiro, que é semianalfa e regido por uma elite intelectual medíocre, que embora não seja semianalfa, é pseudointelectual.  O indivíduo que fez a montagem do Pai Lule lendo livro invertido está rindo de si, um caso legítimo de falta de espelho em casa, algo que azelite intelectual no Brasil também não têm. Coelho é um excelente romancista, mas azelite torceram de inveja o nariz para ele porque o mago virou estrela planetária. Não há nada erudito ou cerebral no Coelho, mas ele é um mitologista, e seu talento é produzir narrativas universais.  O mitológico sob

Ju e o Careca

Imagem
  Eu sempre fico recebendo a mesma pergunta de pessoas curiosas para saber de onde é que eu tiro tudo isso. A resposta sincera é: não sei. Por sincera, entenda-se a resposta que errada não está, mas também não está certa. Para entender melhor meu dilema, talvez você devesse ler o Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir.  Não é um livro sobre feminismo, mas um trabalho filosófico onde ela investiga o que é ser mulher. A obra é datada, mas na empreitada ela usa absolutamente tudo de relevante que estava à disposição da humanidade na época para investigar o tal de ser mulher. Aí você olha aquilo e se pergunta: como é que essa doida enfiou aquilo tudo no cerebrinho? Foi por osmose, teve uma revelação de Frida, passou um KY? Sabe como ela fez? Sei lá. A mulher já morreu, então já era. Eu já estou no padrão de fazer totó se mijar nas calças com meus poderes telepáticos e você quer que eu comece a psicografar coisas agora? Até estou tentando psicografar uns bagulhos, pois há coisas que o Elvis de

Saudades dos Fiscais de Cu

Imagem
Saudades do Silas Malafaia. Esse fofo é um querido, o meu fiscal de cu preferido. Sou fã, não nego, mas também não me apego. Faz muito tempo que não faço post inspirado nele, então hoje vou fazer, pois a situação urge. Quando o sujeito tem que apelar para o Silas é porque a coisa tá russa. Está russa pois nem dizer que a coisa está russa é mais possível. Essa é uma expressão xenofóbica, politicamente incorreta, eu corro o risco do Vlad ficar Putin e vou levar Zuck por discurso de ódio contra bebedores de vodka só porque não bebo vodka. Desde que comecei a escrever com mais frequência em 2019, sempre achei engraçado ver gente que está por aqui achando que sou da sua tribo. Isso é logicamente impossível, pois sempre houve várias tribos incompatíveis no meu feed. No início haviam até feministas, mas por alguma razão que não entendo, elas me abandonaram. Caso alguém se habilite a ir lá no Todas Fridas e Quebrando o Tabu convidar as manas para curtir minha página, sinta-se à vontade. Aqui e

Luquinhas Furiosos

Imagem
O Brasil está cheio de Luquinhas, o Nisto linchador que apareceu na minha página para reclamar de linchamento. Como toda feminista, defende falsa acusação, então não só me acusou falsamente de várias coisas, com se autolinchou para forjar provas. Ainda traz reforços para tentar me linchar. Quando esses totós vêm de dois ou três para cima de mim eu acho muita covardia, algo quase desumano.  Para a coisa ficar justa e equilibrada, tem que ser no mínimo uma matilha organizada de uns vinte totós furiosos dos graduados, com mestrado em au-au da selva e doutorado em lambeção de botinha. Já estou velho, cansado, em fim de carreira, então empalar mais do que vinte desses au-aus peludinhos ao mesmo tempo hoje para mim é difícil. Mel eu ainda tenho, mas é racionado. Tenho que me poupar para aqueles momentos realmente delícia da vida, então vamos a eles. A mídia oficial também teve seu Luquinhas. Felipe Andreoli foi linchar¹ o Maurício do vôlei para saborear seu momento pato sinalizador de virtud