O Macho Chorão

 


Chorei quando vi uma camiseta com o slogan "Acabe com a masculinidade tóxica: faça um homem chorar hoje". Chorei de rir, mas como chorar de rir também é chorar, chorei. Sempre choro de rir também com o fake news de que choro e masculinidade tóxica são incompatíveis. Ora, o choro é perfeitamente compatível com todos os tipos de masculinidade, não só as masculinidades não masculinas. Homens de verdade na verdade choram em vários momentos da vida, mas se você não está com saco para esperar pelo evento, é só dar um chute no saco.

Nada como um bom chute na zona do agrião para deixar um homem emotivo. Caso você tenha problemas para apreciar a íntima relação que existe entre paulada nas bolas e emotividade masculina é porque provavelmente não tem saco para entender como homens processam as emoções. Outro fake news de chorar é aquele de que homens são culturalmente programados para não chorar. Isso é falso, verdade que pode ser trivialmente constatada no cinema, onde sempre podemos encontrar vários machões chorões. 

Até mesmo o Superman, que é literalmente um super homem, chorou quando matou o general Zod. Matar o último indivíduo da sua espécie para salvar uma espécie que não é a sua é com certeza motivo bastante razoável para abrir o berreiro, então é claro que eu super entendo o Superman. Até o Rambo, ícone imortal da masculinidade tóxica, deu sua choradinha nas telonas. Ao final de First Blood, o personagem que é benchmark de macheza cinematográfica desabou em lágrimas ao falar das suas fragilidades e outras emocionantes emoções causadas por sua traumática experiência na guerra do Vietnã.

Nesses dois exemplos podemos observar como é estranha a maneira como homens lidam com seus sentimentos. Homens, para chorar, precisam de uma razão que justifique aquela choradeira toda. Já as mulheres, que são pessoas normais, choram sem saber por que estão chorando e ainda ficam com raiva quando descobrem que você também não sabe. Supondo que você saiba, é melhor ficar quieto e não dizer nada, porque do contrário elas vão dizer que é mansplaining. 

Mulher que anda com camiseta de fazer homem chorar para acabar com a masculinidade tóxica é do tipo que diz que homens são tóxicos quando não choram e ridículos quando choram. É o caso com o psicólogo Jordan Peterson, que é ridicularizado pelas camiseteiras por chorar com frequência em podcasts e entrevistas. Peterson é o arauto intelectual da masculinidade tóxica da toxicosfera atual, mas vai ser zoado e ridicularizado assim que demonstrar sua capacidade superior de conectar-se com suas emoções e emocinhas em público. Como podemos ver, é cilada essa camiseta, Bino, mais cilada do que gender swap de Carga Pesada.

Homens choram por várias razões. Choram quando sentem dor, quando sentem medo, quando perdem alguém, quando estão felizes, quando estão tristes, quando estão apaixonados, ou mesmo quando testemunham um evento de rara beleza. Algo que certamente me deixaria emotivo seria descobrir alguma camiseteira capaz de sentir por homens ao menos um décimo da empatia que exige para si. 

Encontrar uma camiseteira capaz de raciocínio lógico também seria um evento capaz de me causar fortíssima comoção. Não acredito em milagres, mas enxergar tal coisa definitivamente seria a prova de que milagres existem. Se viver à espera de um milagre e na sequência testemunhar um não é razão suficiente para se desmontar em um rio de lágrimas lacrimejantes, desconheço que outra razão seria suficiente para fazer um homem chorar.

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela