O Fardo da Mulher Extrovertida


Querido blog: hoje vou problematizar sobre o fardo da mulher extrovertida, um assunto problemático, recorrente e de extrema urgência e relevância. Aparentemente, mulheres são oprimidas porque quando são simpáticas, os homens acham que elas estão oferecendo sexo. O problema é problemático com homens feios e pobres apenas, já que quando um homem gato, com carrão e situação financeira estável interpreta um sorriso inocente como flerte, aí não há mal algum nisso, não é um ato misógino ou machista. 


A única interpretação válida de um sorriso que um homem feio e pobre pode fazer é que um sorriso é só um sorriso, já que sequer sonhar que aquilo pode ser um flerte é um engano imperdoável, um evento aberrante e impossível que não ocorre em hipótese alguma. Mulheres lésbicas também estão autorizadas a não possuir poderes telepáticos. Nunca é machismo e misoginia quando uma mulher acha que a outra está querendo sexo, quando na realidade apenas queria ser simpática.

Essa é também uma questão interseccional, já que há o problemático e dramático drama das mulheres com padrão de beleza alternativo que podem ser simpáticas à vontade. Ninguém acha que elas estão oferecendo sexo, e mesmo que ache, faz de conta que não achou que é para não ter que assumir a responsabilidade de fazer algo a respeito. Esses padrões de beleza da sociedade patriarcal enjeitadora são muito opressores, pois ensinam homens a não serem solidários com os dramas femininos. Quando uma mulher não é popular entre os rapazes, homens vão oprimi-la negando-se a oferecer sexo, mas quando a menina é popular e tem farta oferta de sexo, homens vão oprimi-la oferecendo mais sexo. Haja o que hajar, homens vão ignorar os sentimentos das mulheres e se comportar de forma escrota e desrespeitosa na sua presença pois é isso que o patriarcado os ensina a fazer: ignorar as feias e não ignorar as bonitas. É preciso frisar que homens não nascem assim. Esse comportamento machista e misógino é resultado da cultura patriarcal opressora.


No Twitter, a fanfic do fardo da mulher extrovertida com mais retweets é de um homem. Realmente é um mistério para mim por que mulheres dão validação pra macho nessas horas. Ora, por que esse cavaleiro branco quer proteger as meninas da hipersexualização da mulher perpetrada pelos machos patriarcais escrotos? Porque ele quer pepeca, é claro. Que outra razão um homem cis hetero privilegiado pelo patriarcado teria para adular mulheres e ter o desejo de ser validado por elas? Aliás, é por isso que homens são escrotos. Até quando eles querem proteger meninas de homens malvados que querem molhar o biscoito, eles só estão fazendo aquilo porque querem molhar o biscoito. 

Pode até não ser com você, mas você tem amigas, não tem? Apresenta aí. Não esqueça de antes fazer o marketing de que o heróico bofe defensor das frascas e comprimidas é querido, limpinho e respeitador de mulheres. É impressionante as escrotices que homens heteros aprontam para conseguir molhar o biscoito. O único mistério que resta é saber se mulheres não sabem que isso é um golpe para molhar o biscoito ou fingem que não sabem pra se dar bem quando é conveniente. Vai saber. O universo esconde mistérios muito misteriosos.


Mais problemáticas intersecionais. Precisamos falar do drama da mulher virtualmente tímida mas presencialmente extrovertida que fica nervosa em reuniões, que é uma classe oprimida diferente da que é extrovertida em todo lugar, da que é extrovertida online mas tímida presencialmente, embora desenvolta em reuniões, da que é tímida em todo lugar e de outras combinações interseccionais que não foram mencionadas nesse parágrafo pois ele pecou no quesito inclusividade e representatividade. Problemático.


Essa foi sucinta. Quando estão todas problematizando o mesmo assunto, não é necessário esclarecer nem explicar nada. Basta citar o tópico da problematização que aquilo é suficiente para contar como dramatização bem-sucedida. Problematizar por tópicos de forma resumida é uma boa ideia, pois há vários outros problemas aguardando na fila da problematização. Enfim, temos que ser práticos e realistas. É muito problema urgente e relevante, então ser breve garante que não será necessário um tempo infinito para problematizar tudo. Aliás, ter que ser breve para evitar um um tempo infinito de problematização é também um problema. Anota aí mais esse tópico, porque ele é infinitamente dramático e também merece ser problematizado por um tempo infinito.


Essa levou o Prêmio Empoleiramento Problematizante Interseccional. As tímidas supostamente sofrem dos mesmos dramas das extrovertidas, portanto o fardo das tímidas extrovertidas é muito pesado, tão pesado quanto o fardo das solteiras casadas. Dramático, problemático e empoleirático. Enfim, tudo de bom, quer dizer, temos que problematizar também esse problema pois mulheres que não têm problemas problemáticos para problematizar em público também sofrem, e isso é um drama. Não ter com o que sofrer é uma sofrência, também algo que foi planejado pelo patriarcado para perseguir as mulheres. É muita perseguição. Independente da situação em que a mulher se encontra, ela sempre será uma vítima da cultura patriarcal. Caso não seja, ela pode inventar que é e o problema da falta de problemas está resolvido. Entendeu porque precisamos de Feminismo agora? 


Parece ser um problema realmente problemático esse negócio de ser mal interpretado, mas só quando você é mulher. O que ocorre quando um homem é mal interpretado? Ora, nada. Não só correr o risco de ser mal interpretado não é risco algum quando quem sofre o risco é homem, como ser constantemente mal interpretado é sinal de privilégio masculino. Se mulheres de forma insistente e constante querem sexo pois acham que você está interessado nelas só porque é simpático, isso é uma deferência à sua beleza e à sua crocância. Não é um insulto, não é um problema, não é um desrespeito ao homem ou à classe masculina, portanto cale a boca e não reclame. De male tears o mundo já está cheio, então se é coisa que não precisamos é macho chorão problematizando o fato de que tem muita oferta de sexo e constantemente é mal interpretado. Muita oferta de sexo só é opressão quando são mulheres as vítimas. Pouca oferta de sexo também. Quando o macho não come ninguém, isso é culpa dele, então não reclame. Se vira. Sei lá, faz uma plástica, nasce outra vez, mas não enche o saco. Você é um incômodo opressor para mulheres extrovertidas que só querem ser simpáticas.



Por fim, um cerumaninho raro, alguém com noção. Isso mostra que é possível encontrar pírulas de sabedoria até em desertos de insanidade. Nenhum retweet, mas isso já era esperado. Homens só são populares entre as meninas quando falam o que elas aprovam. Têm também que fingir que aprovam sempre o que elas falam, mesmo quando não aprovam. A pena por não fazê-lo já sabemos qual é: sem biscoito. Negar-se a fornecer sexo quando homens não se comportam conforme o script que as mulheres determinam é a maneira que as meninas têm de lembrar aos meninos que elas não são mercadoria. Sexo não é algo que homens compram em troca de algo, razão pela qual eles são obrigados a oferecer as coisas que mulheres exigem caso queiram o privilégio de serem agraciados com sexo. E não, o que você vai oferecer em troca de sexo não pode ser sexo, já que o sexo que homens oferecem não conta na conta da contabilidade sexual.

É, parece ser um bom plano. Acredito que vai funcionar. 





Postagens mais visitadas deste blog

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela