Ariel Black

 


Conforme alertei anteriormente, para afirmar que algo é woke é preciso critério, do contrário o indivíduo corre o risco de enxergar cabelo em ovo e trocar urubu por louro. Sei que esse é um assunto difícil e complexo, mas é precisamente por isso que criei o método Lacre for Dummies (LFD).

Will Smith, ator negro, atuou como James West, um personagem caucasiano. É possível não gostar do James West do Will Smith sem ser acusado de racista, portanto o filme de Smith não é woke. Como vemos, o método LFD é à prova de idiotas, e não requer prática nem habilidade.   

Nick Fury nos quadrinhos é branco, mas no cinema é interpretado por Samuel L. Jackson. Esse é o momento em que o nerdola vai aparecer para me passar o nicksplaining sobre o Fury black, mas isso é inútil. Heimdall é um deus da mitologia nórdica, então mesmo que você consiga fabricar um Nick Fury black, nórdico black não tem, amiguinhe. Por favor não insista: deus afro-nórdico não existe e o assunto está encerrado.

Sei que essa informação pode ser um choque para você, mas a verdade é que era perfeitamente possível criticar e falar mal de Avengers quando foi lançado, ou mesmo ter uma discussão civilizada sobre a adequação ou não da raça dos personagens sem ser acusado de racista. Isso nos mostra que o MCU, ao menos na sua origem, não era um universo cinematográfico woke. 

Agora a pergunta de um milhão de dólares: eu posso não gostar da nova Pequena Sereia da Disney? Claro que não. James West black, Nick Fury black e Heimdall black é suave na nave, mas se você não gostou da Ariel black, aí você é racista. Observe que é inútil gostar do Heimdall de Idris Elba, achar o Nick Fury de Jackson o personagem mais bad ass da Marvel, ou mesmo ser fã de um sem número de personagens negros, pois se você não gostou da Ariel black, você é racista. 

Para mais dicas sobre mitologia woke, siga esta página.

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela