Come e Paga

 

Dan Bilzerian convida mulheres para comer em seu iate com frequência. Isso é um problema, pois há uma regra de etiqueta criada pelas próprias meninas que diz que as pessoas devem ser ressarcidas pelos gastos que tiveram para comparecer a encontros. 

O iate com heliporto de Bilzerian está avaliado em U$ 80 milhões, então apenas uma noite de depreciação dessa faraônica estrutura é uma pequena fortuna. Temos também somas expressivas gastas em combustível tanto da embarcação quanto do helicóptero, salários do piloto e da tripulação, sem falar nos valores obscenos que Dan vai despender com comida e bebida de alto padrão para servir às convidadas. 

Por certo maquiagem, roupa, perfume, sapato, bolsa, depilação, cabeleireiro, lingerie, anticoncepcional, camisinha saborizada, gel lubrificante, algemas, chicotinho e cintaralho custam muito dinheiro, mas se passarmos a régua e fizermos o encontro de contas entre o que cada um gastou, as meninas vão ter que deixar um rim e uma córnea no iate para ressarcir o que ficaram devendo. Felizmente Dan é um gentleman, um homem à moda antiga, então quando convida mulheres para comer, ele paga.

Tenho observado que hoje muitos meninos ficam inseguros sobre como se comportar quando convidam mulheres para comer. A conta deve ou não ser dividida? Quem paga o quê, onde e quanto? Por certo essa é uma questão delicada, já que regras de etiqueta entre homens e mulheres são sempre complexas e repletas de nuances. 

Se você um dia se encontrar em uma situação em que for difícil determinar o que fazer, não se desespere. Lembre-se de que aquilo que é clássico, tradicional, sempre funciona. Na dúvida, seja um cavalheiro e faça como Dan Bilzerian: pague somente aquilo que for consumir.

Para mais dicas de etiqueta gastronômica, siga essa página.

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela