Os Monstros do Máz...

 

Sempre tive pavor dos monstros do Máz. Frequentemente tenho pesadelos com eles, e passo o tempo tododo tenso, preocupado, pois sei que a qualquer momento uma dessas criaturas da escuridão pode aparecer do nada para me assombrar. Sou a favor de ser honesto, máz... defendo a Ciência, máz... sou uma pessoa lógica e racional, máz... Ui, que medo!

Um que acho particularmente horripilante é o monstro do defendo igualdade de gênero, máz... Esse monstro anda meio sumido, pois em plena era da Informação o sujeito tem que ser muito desinformado para não saber que Feminismo nunca defendeu, não defende, nem nunca vai defender igualdade de gênero. Por essa razão, as manas começaram recentemente a usar a palavra equidade, o que significa que há um monstro novo e pouco conhecido na área, o do defendo equidade de gênero, máz...

Outro que está voltando a ficar em evidêncié o monstro do defendo liberdade de expressão, máz... Esse é terrível. Ofende você com nomes escabrosos para explicar que é contra usar liberdade de expressão para ofender pessoas, fabrica um série de fake news sobre liberdade de expressão para dizer que é contra usar esse direito para espalhar fake news e destila ódio contra qualquer um que se coloque em seu caminho para vociferar que é contra discurso de ódio. 

Hoje em dia até divulgar fatos entrou na lista de exceções ao direito de livre expressão, e o número delas está tão volumoso que talvez fosse mais simples trocar livre expressão pelo direito de livre censura. Assim que todo indivíduo tiver garantido seu direito de censurar quem ele odeia usando sua prerrogativa cidadã de personal ditador totalitário, poderemos enfim sentar na mesa e ter uma conversa adulta sobre quais são os limites do direito de livre censura. Isso se ninguém nos censurar antes, o que é bastante provável. 

Acho que já escrevi o suficiente sobre os monstros do Máz, mas antes de encerrar preciso falar sobre outro monstro, o da cultura do cancelamento, que nada mais é do que uma moderna caça às bruxas. Canceladores não passam de linchadores digitais, uma massa acéfala que, movida por um desejo sádico e irresponsável de exercer poder sobre o seu semelhante, ataca em turbas de forma alucinada e covarde pessoas sem condições de defesa.

Sou veementemente, terminantemente, apaixonadamente contra esse monstro da cultura do cancelamento, MÁZ... ao final deixo link¹ com lista dos filmes e séries em que Amber Heard trabalhou. Se você também tem medo dos monstros do Máz, apague essa lambisgóia, monstra, carrelreest@, gaboomd@ das trevas, falsa acusadora, agressora doméstica, suplente de parasita, dublê de piolho, defecadora de camas da sua memória e não assista mais nada em que essa peeranh@ de aquário aparece nunca, mas nunca máz!


Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela