A Mulher Unicórnio

 

Unicórnios são animais mitológicos que simbolizam entidades mitológicas, então o que temos é o dobro de mitologia com a metade dos chifres, o que talvez seja a explicação para sua popularidade. Na andromitologia cibernética, o unicórnio representa a mulher exceção, a entidade mítica perfeita despojada de todos os defeitos femininos. A unicórnio não é como as outras, pois possui o poder místico de ser capaz de amá-lo de forma sincera e profunda.

Ninguém se pergunta como seria esse tal unicórnio, o que é um problema, já que se você nem mesmo sabe definir essa mítica criatura, então corre risco de cruzar com uma na rua e não saber que avistou um animal fantástico, daqueles que só existem nas fábulas. Pois bem, de acordo com o filósofo do humor Chris Rock, somente mulheres, crianças e cachorros são amados incondicionalmente. Um homem só é amado com a condição de que forneça algo. Já temos então a primeira característica da mulher unicórnio, que é ser capaz de amá-lo incondicionalmente, enxergar seu amor naquilo que pode oferecer, não no que pode extrair de você. Anota aí para não esquecer: a mulher unicórnio precisa ser capaz de amar um homem inútil.

Uma unicórnio precisa também ser confiável. Ela jamais vai te abandonar ou te trair, vai confiar na sua palavra e não da de outras mulheres, e vai protegê-lo das maldades femininas do mundo. Está anotando? Outra condição para ser mulher mito é ser capaz de compreender você. A unicórnio não é como as outras, ela não só entende você melhor que você, como pensa que seus desejos são prioridade. A unicórnio não só valoriza seus desejos, como se antecipa a eles para atendê-los, pois amar para ela é ser capaz de fazer você feliz. Anotou tudo?

É fácil concluir que é realmente mitológico esse unicórnio, então não é surpresa que homens pensem que tal entidade não existe, e mesmo que exista, é tão rara, tão exceção, que seria um milagre encontrá-la. Isso é um engano. Tal entidade existe sim. Não só existe como é bastante comum. Essa mulher é sua mãe, mano. Se você ainda tem mãe, vai lá e dá um abraço na véia. Aproveita e já pede para ela fazer um sanduíche e um toddynho, assim você pode passar o dia jogando videogame online com seus amiguinhos inúteis para comemorar seu aniversário de 45 anos. Sua mãe ama você como você é, então não precisa de emprego, não precisa estar em forma, é só ficar em casa coçando a cocerinha e vivendo de mesada que ela está feliz. Triste ela vai ficar quando você tomar juízo nesse seu focinho e for embora, e trocá-la por uma lambisgóia desclassificada qualquer que nunca vai tratar você como a mamãe e amar você como a mamãe ama. 

Trocando em graúdos: todo homem tem desejo de retornar ao útero, o problema é encontrar uma que tope. Freud, na realidade, era um red pill, e entendia as neuroses dos blue pillados. O paciente encontra uma mulher e pensa que ela é a mamãe, mas como ela não é a mamãe, fica neurótico, surpreso, surtado e decepcionado. Deita aí no divã que eu vou curá-lo dessa mitologia Edipiana que mantém você preso a um mundo virtual inconsciente de fantasias simbólicas não resolvidas. Em outras palavras, vou tirar você da Matrix.

Mas se a mamãe é o unicórnio dos meninos, quem seria o unicórnio das meninas? Essa é fácil: só pode ser o papai. Papai acha que você é a princesinha dele, a mulher mais linda, cheirosa, sedosa e perfeita de todas. Papai paga suas contas, está sempre lá por você, vai proteger você e até morrer por você. Papai faz todas as suas vontades com um sorriso no rosto. Papai é capaz de aturar todas as suas birras, suas manias, suas histerias e suas criancices infantis sem ter vontade de estrangulá-la. E o que papai pede em troca desse pacote VIP de vantagens e benefícios? Nada. Nem mesmo sexo. Papai sabe que sexo é uma coisa vulgar, menor, desnecessária. Sexo a princesinha dele consegue em qualquer lugar, de preferência com aquele personal trem malhado e pintudão da academia. 

Freud explica porque mulheres ficam revoltadas quando descobrem que precisam entregar a pepeca em troca do pacote VIP de vantagens e benefícios. Papai nunca pediu a pepeca na hora de pagar a fatura do Xerecard, então se você está exigindo pepeca em troca das vantagens e benefícios que só o papai é capaz de fornecer, você não é o papai. Essa é a origem última de toda neurose feminina, a razão pela qual mulheres dizem que homens são escrotos e que masculinidade é tóxica. Neurose com pintos é um drama dramático, além de problemático. Não há cura para essas neuras, mas são controláveis de forma satisfatória com divã e doses regulares de rolamicina porridurada. Como podemos ver, Freud é Freud, mãe é mãe, e pai, é claro, é o papai, o bofe unicórnio delícia das meninas.

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela