Gaúcha Hetero

 Está viralizando um video de uma guria de Porto Alegre reclamando que aqui no Rio Grande não tem macho, e o pessoal por aí já começou a falar bobagem para deixar as prendas daqui mal faladas. Não dê pitaco no que você não sabe. Como não gosto quando ficam fofocando sobre as prendas da minha cidade, minha naftalina já está subindo, então vou ter que tirar o facão do cinto, colocar na mesa e esclarecer de uma vez por todas o que de fato está ocorrendo nessa treta viral.

Os tios por aí já estão com umas teorias malucas de que o problema com essa guria é que as modernetes hoje estão com o nariz empinado. Como ia dizendo, você não sabe o que está falando, e não entende que o RS não é Brasil. O Pampa não tem fronteiras, então formamos uma joint-venture com os povos do Prata, que são mais assemelhados a nós culturalmente do que o resto do país.

É impossível a modernete gaudéria estar empinando o nariz porque a gaúcha sempre teve nariz empinado. Se as chinas daqui empinarem o focinho mais dois milímetros vão quebrar o pescoço. Desde de que eu descobri para que serve meu piu-piu, e isso foi há muuuito tempo, o mimimi é sempre o mesmo. As prendas mudam, mas o chimarrão não:

- Ãein, guriazzzz… não dá mais, néam? Não tem homem nessa cidadjeam! Esses machos tem que se tocar e tomar uma providênciam, já que é óbvio que não vamos tomar nenhumam.

Mas é claro que não tem homem, já que nada serve. Para arrastar uma gaúcha para o matadouro tem que gastar saliva, mano. Você sabe como é que faz para matar leão no grito? Pois então. Não sabe nem matar leão no grito e quer dar pitaco nas modernetes dos outros. Aqui elas não são como as capivaretes da sua cidade, que é só chegar e enfiar o pinto. Essa que está no video é uma tal de Laura Larre Borges, uma semiquasicelebridade local que eu nunca vi mais gorda, então puxei a ficha dela¹ na Internetchê para avaliação. Passando a régua na encrenca:

Publicitária - se acha;
Tem tatuagem - se acha muito;
É bonitinha - se acha bagarai;
Faz video com cara de nojinho se piriguetando toda no Tik Tok - não se acha, tem certeza;
Trabalha com moda Fashion: tem certeza absoluta;
É gaúcha - pensa que a Bündchen é baranga, pois é evidente que ela é muito mais top;
31 aninhos - Se está reclamando que não tem homem, tá desesperada no the wall;
Quilometragem: não posso revelar. Isso é um assunto que diz respeito só às moças daqui, e ninguém tem nada a ver com isso.

Gêintchy, se uma dessa com vinte aninhos fizer video no Tik Tok reclamando que por aqui não tem macho, eu corto meus bagos fora com navalha de capar touro eu mesmo, sem anestesia, e penduro na parede para enfeitar a sala. Essa conversa mole de que está no bar e os caras não chegam é lorota. Na night elas andam todas de nariz empinado fazendo cara de nojinho, e ela só está fazendo cara de nojinho nesse video pois sua cara de nojinho já não está dando o caldo que ela está acostumada no tempo em que estava crocante e sedosa.

O que rola é que eu não chego nessa guria nem com adaga espetando na minhas paleta. Mulher desse padrão de beleza, renda e status eu nem olho, já que só de passar do meu lado ela já vai fazer cara de nojinho para alertar que eu não tenho chance. Se eu der boa noite ela já vai achar que eu quero comer. Errada não tá, mas também não tá certa, pois o simples fato de eu existir para ela é uma abominação. Basta que eu respire perto dela para deixá-la tensa. 

Supondo que eu estivesse no meu prime, recém passado dos trinta, que foi quando eu descobri que era bonito, estivesse com a academia em dia, e acordasse em um dia muito inspirado, calculo que há uma remota - eu disse remota - chance de conseguir encostar meu burrico nessa perua. Claro que ia ser só séquisso, já que mesmo no meu prime, depois de ter ficado bonito, para ela eu ia ser só lanchinho.

Eu tenho uma conhecida que é mais ou menos desse padrão, bem empregada, mais idade, mais ligeira, mais QI, mais substância, bem mais classuda, e ela nunca ouviu falar nesse negócio de abordar macho não, mano. Por aqui uma piriguete com o mínimo de mel no corpo nunca chegou em homem. Elas acham um insulto, inclusive, pois nem precisa. Se tem um mínimo de melzinho no pelo é só ficar parada que os guri daqui fazem o resto. Serviço completo: barba, cabelo e bigode. Essa Laura chegando em homem até já sei como é. Ela só vai se rebaixar a chegar em alguém se for o top dog comedorzão da zona, fazendo cara de desculpe por ser gostosa e achando que está fazendo favor. O cachorrão vai cheirar essa sirigaita e mandar pastar. Sai daqui, perua desesperada. Nem te conhêçoam. 

Se ela pedir com jeitinho o cachorrão dá uma botada, mas vai dar uma botada e vazar à galope, sem nem olhar pra trás. Uma dessas por aqui para estar chegando em homem é porque tem algo muuuito errado, mas o que seria? Vejamos: tatuagem gigante, publicitária da "área fashion", faz video com cara de nojinho se piriguetando toda no Tik Tok, acha que está fazendo favor para o cachorrão quando chega nele, hummmm... isso aí é fria mano. Come e some é o máximo de nota que eu posso dar, e já é uma nota bastante inflacionada, só porque eu sou um gentleman, um cara ponderado, comedido, equilibrado, fofo, querido, educado, gentil, a piriguete é de Porto Alegre, e Porto Alegre é demais.

Viventes e viventas de todas as querências, ficamos então combinados: não fiquem por aí atirando pedra nas chinas aqui do sul, pois vão atirar pedra errado. Supondo que precisem mesmo fazer isso, e for um caso de extrema necessidade, aí me chama que eu ajudo, porque vou te dizer: não dá mais, guriazzz...

@larreborges

GAÚCHAS CORRAM AQUII 🗣🗣🗣#foryou #foryourpage #fypシ #gauchas #gauchasnotiktok

♬ som original - Laura Larre Borges

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela