Preparando para decolar

 

O Talibã resolveu engrossar o caldo e está mandando bala¹ nos manifestantes afegãos. Ganha meia goiaba bichada com queijo mofado quem descobrir o gênero dos que estão morrendo em nome da liberdade e da democracia, mas como com certeza a situação por lá está muito pior para as meninas, então deve ser por isso que esse C-17 americano na imagem está abarrotado de machos² prontos para evacuar, digo, decolar. Os gringos estão fazendo uma força no marketing da vítima feminina na narrativa afegã, então o que todos esses cuecas estão fazendo nesse cargueiro? Não fás centido. Observe que não são nem idosos nem pirralhos, ou seja, todos bofes viris, saudáveis e na flor da idade, aptos a ter um relacionamento sério com meninas russas, as Kalashnikovs. Dóceis, automáticas e com baixa manutenção, essas lindas dão no couro até com areia no ventil de arranque, portanto nunca vão te trair e nunca vão te deixar na mão. Com apenas duas gotas de óleo por mês, elas entregam o paraíso ou mandam você pra lá.

Esses Abduls não tem mãe não? Talvez irmã, prima, esposa, quem sabe uma vizinha gostosa que queira salvar levando para o Ocidente para ver se rola? Estão fugindo sozinhos por quê, posso saber? Algo errado não está certo nesse cargueiro, e militares americanos não parecem estar muito preocupados com o assunto. Na época da segunda guerra as pessoas estavam fugindo também, pois a coisa estava crítica. Na Itália, despachavam navios abarrotados de gente para o Brasil em busca de melhor sorte. Era proibido despachar solteiros, então tinha que ser casado para embarcar. Meu vô não era casado, mas temendo o Talibã Nazi, se disfarçou de padre e embarcou para o Brasil, pois padres também podiam ir. O problema é que não estou vendo nenhum Imã nesse cargueiro aí, é só um monte de cuecas carentes de Kalashnikov.

Desconfio que isso seja um plano dos Talibã. O Afeganistão é um país pobre e conservador, então se você não produz renda, não vai casar e provavelmente morrerá invicto, pois nenhuma afegã vai ajeitar o seu lado por lá sem casório garantido. Se não vão casar para produzir Abdulzinhos para a milícia pois são uns pelados, então despacha todos para os EUA. Na América as mulheres são independentes, desconstruídas, e não ligam para dinheiro, então eles poderão casar com ocidentais e fazer vários Abdulzinhos viris e guerreiros. Em duas gerações a América estará tomada via bomba demográfica. Desconfio que esse plano não vai dar muito certo, em todo caso, desejo sorte aos rapazes. Na pior das hipóteses, pelo menos vão poder assistir X-Videos em paz.

Meu vô chegou ao país com uma mão na frente e outra atrás. Mesmo pelado, já grampeou uma brazuca e bombou demograficamente dez pacotinhos no Brasil varonil. É muito italianinho, gente. A questão é que o vô era outro nível. Tem que respeitar um cara que pega mulher disfarçado de padre. Não convivi muito com ele, e só o que sei é que meu pai é foda. O vô não. Meu vô era fodão, mano. Eu sou só o fodinha da família, um ragazzo degenerado.


Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela