A Saber


Toda notícia deve dizer exatamente o que eu penso para que eu acredite que ela é verdadeira. Se eu não penso o que está na notícia, o erro é meu, não da notícia, então devo mudar o que eu penso para que a notícia diga exatamente o que eu penso. Evidente que a notícia pode me iludir, mas se isso ocorreu, o erro foi da notícia, não meu. 

Uma crença não precisa ser verdadeira para ser conhecimento, precisa apenas ser justificada. Se você possui uma crença verdadeira não justificada, isso não é conhecimento, é apenas um chute de sorte. Caso sua crença seja falsa, embora justificada, você apenas cometeu um erro. Dado que não somos infalíveis nem oniscientes, nada mais nos pode ser exigido além disso para estarmos autorizados a dizer que possuímos conhecimento, visto que não é justificada a crença de que a nós é possível fazer o impossível.

Talvez mais perigoso do que crer em algo apenas porque aquilo é o que você gostaria que fosse verdade é acreditar que algo é falso porque quem crê naquilo o faz apenas porque gostaria que fosse verdade. Ora, isso é o que você gostaria que fosse verdade,  então falhou monumental e espetacularmente em aplicar seu próprio critério, e foi vítima do seu próprio fake news. Sim, há indivíduos que acreditam em coisas apenas porque eles gostariam que fossem verdade, mas tal coisa é inútil para determinar se aquilo que eles acreditam é verdade ou não. 

Até onde sei, e considerando ser impossível saber além do que me é possível saber, não tenho nenhuma doença grave terminal. Isso, por coincidência, é também o que eu gostaria de acreditar, embora essa não seja a razão pela qual eu acredito nisso. Não é crime unir o verdadeiro ao agradável, o que não é recomendável é fazê-lo com o falso, já que isso não é virtude, mas ilusão de virtude.

Ilusão de virtude é a gênese de todo mal. As maiores atrocidades já cometidas por humanos foram feitas por pessoas que acreditavam sinceramente estarem fazendo o bem. Crer nisso não é agradável, já que lança uma mancha de dúvida em nossa presunção de virtude, mas essa, infelizmente, é a verdade. Eu me encontrei pela primeira vez com minha esposa no dia dos namorados. Ora, essa certamente é uma história, especialmente hoje, que eu gostaria que fosse a verdade, mas enfim, salvo melhor juízo, essa é a verdade, somente a verdade e nada mais que a verdade. 

Filosofia, do grego philos + sophia: amor ao saber. Amar o saber também é amar. Ora, mas amar, saiba você, também é saber, saber que ama. Amar é mais do que crença justificada, é uma crença incorrigível. Posso estar enganado sobre muitas coisas, mas não posso estar enganado sobre estar amando. Amor, portanto, não pode estar errado, não pode ser corrigido, pode apenas ser sentido. Quando você sente que ama, não há engano ou dúvida possível, não é algo que possa não ser verdade, então queira você acreditar ou não, o que você sente é amor. Isso é algo, entretanto, que só os apaixonados sabem.

Aos que amam saber, e aos que sabem que amam, um feliz dia dos namorados.

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela