Crise Existencial Canceladora


 A psique da turma da lacração canceladora foi profundamente afetada por essa edição do BBB, o que aparentemente ocorreu porque estão tendo a oportunidade de se enxergar no espelho. Penso que essa não pode ser a razão, pois canceladores se enxergam em atuação o tempo inteiro. O que aconteceu de fato é que, pela primeira vez, canceladores estão sendo obrigados a contemplar os efeitos do seu cancelacionismo, coisa que nunca têm oportunidade de fazer pois vivem isolados em suas bolhas digitais de cancelamento destilando sua pestilência, sem nunca se dar ao trabalho de avaliar as consequências das suas ações no lado de fora.


Isso foi observado na tentativa de Lucas de transformar o BBB em uma filial do Black Hate Matters, em que negros se unem para cancelar brancos. Como sabemos, não existe cancelamento reverso, portanto a iniciativa é bela e moral. O próprio conceito de racismo reverso, um espantalho inventado para autorizar negros a serem racistas, é uma ideia canceladora. Ela invisibiliza o racismo contra asiáticos, indígenas e outras raças não caucasianas, sanciona o colorismo, uma forma de racismo, cancela o conceito de racismo que existe no dicionário, cancela brancos que condenam ódio racial com acusações de racismo, e também negros que condenam ódio racial com acusações de estarem se aliando com o "inimigo".

Em ambiente público, onde o Black Hate Matters pode anular críticas à sua ideologia de ódio racial com ódio racial e cancelamento, eles reinam soberanos, mas não havia canceladores para cancelar Projota na área quando ele explicou no BBB a Lucas o quanto suas ideias de ódio reverso são abjetas. Projota é negro, mas sua mãe e irmãos são brancos, então por mais que ele seja simpático à causa negra, promoção de ódio racial contra brancos travestida de ativismo social não é algo que ele pode tolerar. 

A posição de Projota provavelmente é majoritária entre negros, mas esses indivíduos são cancelados pela turma radical e minoritária do Black Hate Matters, a única sancionada pela mídia na hora dos famosos "debates educativos" sobre questões raciais, que na realidade não são debates, mas meros monólogos onde nenhum contraponto é autorizado nem a negros, que dirá a brancos, a raça a ser cancelada. Qualquer tentativa de denunciar a incoerência desse processo é imediatamente cancelada com acusações de racismo, defesa de privilégio branco, incapacidade de solidarizar-se com negros e tentativa de sabotagem da causa racial.

Mas o que aconteceu com Lucas após ter seus poderes de ódio reverso cancelados por Projota? Desmoronou. O que há de relevante a respeito da causa racial além da promoção de ódio contra brancos que Lucas pode avançar no BBB? Nada, pois não há nada que o Black Hate Matters tenha a acrescentar ao debate racial além de ódio a brancos e promoção de fantasias canceladoras como a de que todo branco é racista, todo branco é culpado pelas ações de brancos no passado, além do indefectível fantoche do racismo estrutural, o mecanismo que fornece a autorização moral para enxergar cabelo em ovo em conjunto com o poder de cancelar qualquer um que se atreva a discordar.

Canceladores estão no momento em processo de auto-análise¹, de identificação e correção de erros. Se forem sinceros nesse exercício, em breve serão atingidos por uma epifania bem mais profunda. Uma vez ajustada a rota, perceberão que não há rota. Transformar bullying em justiça social não é uma mácula no seu paradigma, isso é o paradigma, a única coisa que dá relevância ao cancelador na sociedade. Se cancelarmos a cultura do cancelamento, o cancelador terá que contemplar o fato de que isso fere sua existência, e dessa vez não poderá ser resistência. Canceladores são uma máfia que não possui nada de relevante a acrescentar além do ímpeto de praticar bullying, cujo objetivo não é atender causas sociais, e sim, aumentar as fileiras de zumbis canceladores, recrutados e controlados pelo medo de serem os próximos na lista de cancelamento.

A certeza de que canceladores não possuem nada de relevante a acrescentar é a própria necessidade de defender suas inexistentes ideias e propostas com cancelamento. Projota não precisou cancelar Lucas para avançar seu caso, não invocou lugar de fala, não invocou superioridade moral a priori. Tal é a natureza do discurso sóbrio e honesto. Ele se sustenta por si, sem blindagens artificiais de proteção. A única coisa que pode pará-lo é o bullying cancelador, e isso canceladores sabem muito bem. É precisamente por essa a razão que são canceladores. Remover de canceladores o poder de cancelar é a mesma coisa que arrancar os dentes e as unhas de um gato feral. Só o que sobra é uma bola de pelo histérica que faz fú. Fofinho, mas além de inofensivo, é totalmente inócuo.

Nada insano, contraditório, desonesto, mal intencionado ou racista foi avançado nesse texto, mas como ele existe em uma cultura de cancelamento, está sujeito a ser cancelado.

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela