Exorcizando Capivaras

 

Ser ungido por Frida não é suficiente para tretar com capivaras possuídas por demônios, incubus, djins, capetas e outras entidades infernais. Em uma treta é sempre importante obter o moral high ground, mas o problema é que capivaretes possuídas fazem de tudo para permanecer nas sombras. Vão negar que Feminismo é uma ideologia sexista e misândrica, insistir que não são "aquele tipo de feminista". São feministas do bem, das que não odeiam homens e defendem igualdade de gênero. Sim, claro. E eu sou o Maicon Jéquinsom. Esse é o momento no qual um exorcismo se faz necessário: em nome de Frida, ordeno que te reveles! 

Exorcizar capivaras já foi mais difícil no passado, mas hoje a tarefa não requer muito tempo. Com pouquíssimo esforço elas já começam a espumar, grunhir, ejetar vômito por todos os orifícios, fazer giros de 360 graus com a cabeça, feder a enxofre e cuspir heresias e obscenidades. Uma vez que a entidade se revela e fala o seu nome, agora você tem o controle da situação e pode iniciar a sessão de desencapetamento. 

No print vemos o momento em que uma entidade emerge das trevas e começa a defecar pela boca após ser invocada. Não é uma entidade apenas, mas uma legião de demônios encapetados que não são a favor do aborto, mas contra a criminalização. Por falar nisso, não sou a favor de exorcizar capivaras na base do cinto, chinelada e surra de vara, mas contra a criminalização.

Que Frida nos elumine e nos empodere. Ainda que eu ande pelo vale da falsa acusação e do golpe do pacotinho, não temerei mal algum, porque o meu tá lacrado. Em nome da Mãe, da Filha e da Periquita Santa, amém!

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela