Mérito Surdo

Alguém que cava com uma colher um buraco de vinte metros quadrados na terra e depois o fecha certamente realizou um feito de mérito expressivo. O problema é que o resultado é nulo, e resultado é o que buscamos. Meu GPS funciona graças à Relatividade Geral, mas se Einstein tivesse nascido em uma favela, passado fome, severas dificuldades para estudar e ainda tivesse sofrido preconceito por ser negro, gay e torcedor do Grêmio, nada mudaria. Essa versão de Einstein tem mais mérito do que a que existiu de fato, mas o resultado é o mesmo. O grau de mérito de Einstein não interfere na precisão do meu GPS.

Bethoven escreveu a melhor parte da sua obra após ter ficado surdo. Ele nunca ouviu sua 5a Sinfonia a não ser em seu próprio cérebro, de onde posteriormente foi transferida para a pauta. Nada na 5a Sinfonia ficou mais belo porque ele era surdo, nem teria ficado pior caso ele não fosse, embora um Bethoven surdo tenha mais mérito do que um com audição perfeita. Audição, aliás, é um fenômeno que ocorre no cérebro. Se você acha que a audição ocorre no ouvido é porque não está usando seu cérebro de forma eficiente. Sua tentativa de compreender o fenômeno auditivo até que teve mérito, mas falhou em produzir resultado.

No retrato abaixo, da época em que já era surdo, Bethoven está com uma pauta na mão olhando para cima, ato reflexo que ocorre quando criamos imagens mentais. Isso indica que ele não posou para esse retrato, e que o pintor baseou-se no que via enquanto observava Bethoven trabalhando. Há som nessa cena, mas somente o compositor estava ouvindo. Cheguei a essa conclusão sobre esse quadro sozinho. Tive mais mérito do que se tivesse lido isso em algum lugar. Para você o que vale é o resultado. Se estou correto, a informação que produzi tem valor. Se não estou, aí você só perdeu tempo lendo bobagem.

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela