O Corpúsculo


O grau de paranoia esquizofrênica de feministas é requintado e merece ser estudado pela ciência médica. Talvez a NASA, porque desconfio que isso é coisa de alienígenas surtadas e empoleiradas que invadiram a Terra para nos mimimizar até que a humanidade seja extinta por falta de paciência. Além de nerds de 40 anos que idolatram desenhos animados e choram com personagens feitos para crianças, ninguém acha isso super maduro e refinado, possivelmente nem eles. O problema da Ana não é nem o Goku, nem o Naruto, nem o nerd de 40 que chora vendo desenhos infantis pelos quais nem mesmo crianças choram. O problema é que ela acha que Crepúsculo é infantil, coisa de menininha bobinha e aprincesadinha, mas sonha com o dia que homens vão dizer pra ela que não, que aquilo é cult, merecedor de veneração. Tem que ser os homens, pois opinião de mulher não serve pra ela por razões mais que óbvias.

Se todas as mulheres do planeta achassem Crepúsculo cult, Ana iria continuar preocupada com o que os homens pensam. A verdade é que ela não está nem um pouco preocupada com críticas machistas de cinema, está preocupada é com o Corpúsculo dela. O filme não interessa, o que ela quer é um parecer favorável da crítica masculina sobre sua pepeca, saber se é comível, se serve pra casar ou não, essas coisas que críticos de buceta avaliam antes de recomendar o bacalhau. Goku nos salve, é muita fixação em pinto. Para feministas, tudo no mundo pode ser reduzido a pintos e periquitas, mas são os homens os obcecados por sexo que não conseguem enxergar nada na frente além de genitais. Será que os nerds de 40 perdem um único segundo de sono se sentindo oprimidos pelas mulheres porque elas acham que Goku é coisa de gente infantil? Hummmm.... improvável.

Mana Ana, ouvi o George Lucas dizendo esses dias que Star Wars é um filme que ele fez para garotos de 12 anos. Foi um dos pontos altos da minha vida. Me achei o máximo, super maduro, pois vi o piloto no cinema com 6 (seis) anos, metade da idade recomendada. Eu nem conseguia ler as legendas, então meu pai falava as legendas pra mim na sala de exibição. Pai é pai. É igual ao Darth Vader, só que sem o capacete. Que a Força esteja com ele. Décadas depois ainda faço maratona de Star Wars. Acho a coisa mais intergaláctica das galáxias. Cada vez que assisto parece tudo igual como foi na ducentésima vez. A emoção é a mesma. Nerd é nerd. É igual ao cara do Goku, só que com sabre de luz. Poder voltar a ser garoto por alguns momentos é fantástico. 

A diferença entre eu e a Ana Corpúsculo é que, quando a maratona acaba, eu volto a ser adulto novamente, que é provavelmente o que ocorre com o nerd de 40 após chorar por Naruto. Não entendo esse negócio de chorar por Naruto, acho infantil. Legal mesmo é Força Jedi e sabres de luz, me emocionar com a Leia, lembrar como as mulheres do meu tempo eram e depois falar mal da Rey, etc. Acho mais infantil ainda reclamar de homens porque não choram para depois reclamar quando eles choram. Não pode chorar pelo Naruto. Segura as lágrimas aí, mano. Menino não chora, não sabia? Pare de ser bebezão chorão. Já está com 40, então já passou da hora de tomar jeito.

Esse é o problema com mimizentas mimadas. Ninguém diz pra elas que elas são mimadas e mimizentas, então vivem reclusas em suas bolhas de confirmação mimimi tão me oprimindo porque eu sou menina. Caso alguém faça menção de furar sua bolha, choram feito bebê. Estão dizendo que sou mimizenta e mimada só por que eu sou menina, buáááááá! Super adulto e empoleirado. É o que feministas chamam de woman power, que consiste, em resumo, no privilégio de ter licença pra fazer beicinho quando alguém diz que fazer beicinho é coisa de criança mimada.

Pra finalizar vou ensinar um teste psicotécnico simples e infalível para detectar se uma mulher é burra e emocionalmente instável. Diga à paciente que mulheres são emocionalmente instáveis. Se ela ficar emocionalmente instável e surtar para querer convencer você que mulheres não são emocionalmente instáveis, rodou. Próxima. Todas as feministas rodam nesse teste, então também serve para detectar feministas. 

Everybody!
Nana nenê
Que o machista vem pegar
Beauvoir tá na roça 
Frida foi aprontar

Mais uma!
Baby shark, tu turu turutu ru...
Baby shark, tu turu turutu ru...

Postagens mais visitadas deste blog

O Fardo da Mulher Extrovertida

Calabresa Fagundes

A Casada e o Shortinho

Iara Dupont

O Mundo de Cinderela